A Polícia Federal (PF) prendeu cinco suspeitos de envolvimento em um esquema de desvio de recursos públicos repassados à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). Em setembro de 2016, segundo o ESPN.com.br, a entidade era investigada por superfaturamento e fraudes em licitações. Por causa das denúncias, o presidente Coaracy Nunes foi afastado. Ele e outros quatro envolvidos foram conduzidos coercitivamente a unidades da PF em São Paulo e no Rio, e outros 16 mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Todos os mandados foram expedidos pela 3ª Vara Criminal de São Paulo. A Operação Águas Claras, de acordo com a PF, apura “o destino de cerca de R$ 40 milhões repassados à CBDA. Há indícios de um esquema de desvios de recursos públicos captados por meio de convênios e leis de fomento ao esporte, sem a devida aplicação – conforme previsto em lei e nos contratos assinados”. Ao invés dos valores serem aplicados em incentivos ao esporte aquático, eles eram desviados para proveito pessoal dos investigados. Eles responderão pelos crimes de peculato, associação criminosa e fraude à Lei de Licitações, sem prejuízo de outros crimes eventualmente apurados no decorrer da instrução criminal. (Bahia Notícias)