José Ronaldo é cotado para vice de Rui em 2018.

2018 esta chegando e ninguém sabe o que vai acontecer de verdade, hoje obviamente Rui Costa seria reeleito e José Ronaldo seria cotado para vice de Rui em 2018. 

Por Redação Bocão News | Fotos: Gilberto Júnior/Bocão News

O mais novo burburinho em torno do prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), e o governador Rui Costa (PT) é que o democrata estaria sendo cotado para a vice na chapa do petista em 2018. Para que isso se concretizasse, Ronaldo iria se filiar ao PP ou ao PSD.

Em entrevista publicada nesta segunda-feira (17) pela Tribuna da Bahia, no entanto, o demista desconversou sobre a possibilidade de mudar de lado, ressaltando que “conversa com todos” e que mantém respeito institucional pelo governador.

Por outro lado, pessoas ligadas ao prefeito ACM Neto (DEM) teriam dito que a manobra se trata de uma estratégia de ambos os correligionários, com o aval do governo Temer, para “roubar” um dos partidos da base governista. A informação foi veiculada pelo site Políticos do Sul da Bahia.

O secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, se posicionou ontem sobre a relação cordial mantida entre o governador Rui Costa (PT) e o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), que é especulado para uma possível aliança com o PT baiano. Nesse sentido, o democrata deixaria sua atual legenda para se filiar a alguma da base, como o PP.

“Se quiser vir, será sempre bem-vindo. Nunca tive conversa com ele sobre esse assunto, mas, é óbvio, que é prefeito de uma cidade importante, a segunda maior cidade do Estado, e eu digo sempre que se cresce na política ampliando o seu grupo e não excluindo. Mas não tenho notícias ainda de ele se descolar para o nosso grupo. Se for uma decisão dele, claro que a gente está sempre disposto a conversar”, disse Wagner em entrevista coletiva, em Feira.

Os rumores dão conta de que, uma vez filiado ao PP, Ronaldo deixaria o comando do Executivo feirense para pleitear uma vaga no Senado, na chapa de Rui, que quer estar cercado de bons quadros. Principalmente diante da possibilidade de haver dissidências na base em 2018. A mais especulada é a de o senador Otto Alencar (PSD) debandar para o lado do prefeito ACM Neto (DEM), virtual candidato ao governo do Estado, o que o próprio Otto nega com veemência. Ronaldo também nunca escondeu a amizade que tem com o vice-governador João Leão (PP), o que alimenta ainda mais as especulações.

Além disso, comenta-se que o feirense pode se filiar ao PSD, e assim ganhar uma vaga na majoritária. Há quem diga que ele dificilmente conseguiria o feito na chapa de Neto, já que teria de enfrentar partidos como PRB, PMDB e PSDB, dificultando a presença de dois democratas na majoriária.

Em fevereiro, um encontro de Rui com o presidente da Câmara Municipal de Feira, Ronny Vieira (PSDB), deu o que falar. Em suas redes sociais, o vereador escreveu que o convite para jantar no Palácio de Ondina partiu do próprio governador. “Fomos recebidos com muito carinho para um delicioso jantar, onde conversamos bastante sobre vários assuntos. Estamos todos muito gratos pela recepção do governador e da primeira-dama”, postou o tucano.

Wagner desconversa sobre candidaturas para 2018

Ainda na entrevista coletiva, o ex-governador Jaques Wagner desconversou sobre as definições de candidaturas para as próximas eleições, inclusive a dele próprio, que também é cotado para uma vaga no Senado. “A única coisa decidida é a reeleição de Rui Costa e João Leão”, disse. “Ainda é cedo para falar, mas topo qualquer desafio, para fortalecer, eu vou enfrentar”, acrescentou durante visita a obras em Feira de Santana.

O ex-ministro de Dilma Rousseff já foi especulado para diversos destinos políticos, da Câmara dos Deputados até a presidência regional do PT. No entanto, o Senado é até agora a mais aventada. “Muitos companheiros acham que o meu lugar é disputando um lugar no Senado em 2018. É possível, para fortalecer e ajudar na eleição de Rui, mas a política é tão dinâmica que você querer saber em que ponto vai estar em 2018 é precipitado.

Mas esse cenário de ser candidato ao Senado, a um cargo político para ajudar algum candidato, é o que eu diria que está mais claro”, disse no final do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *