Irã reafirma apoio a Assad e chama ataque dos EUA de violação à soberania síria

Irã reafirma apoio a Assad e chama ataque dos EUA de violação à soberania síria

Hassan Rouhani | Foto: Reprodução / PressTV

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, reforçou neste domingo o seu apoio ao governo do presidente sírio, Bashar Assad, depois do ataque com mísseis dos EUA contra uma base aérea síria. Em telefonema a Assad, Rouhani chamou o ataque de uma “violação flagrante” da soberania síria, informou a mídia síria. Assad acusou os EUA de tentarem aumentar o moral de “grupos terroristas” na Síria. O governo se refere a todos os que lutam contra ele como terroristas. O Irã proporcionou assistência militar e econômica crucial a Assad durante toda a guerra civil de seis anos na Síria. O país organizou várias milícias xiitas em todo o Oriente Médio para lutar em apoio ao governo de Assad e enviou tropas e oficiais de sua própria Guarda Revolucionária. Os EUA afirmam que o ataque foi em resposta a um ataque químico na cidade de Khan Sheikhoun, controlada pelos rebeldes, na semana passada, e que foi amplamente atribuído às forças governamentais. O governo sírio negou o uso de armas químicas. O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, vai se reunir com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, em Moscou, no fim desta semana. Moscou tem sido um aliado firme do governo sírio e o defendeu contra alegações de uso de armas químicas no Conselho de Segurança da ONU. O ministro turco das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, refutou neste domingo preocupações sobre uma disputa com a Rússia a respeito do apoio de Ancara ao ataque dos EUA, afirmando que a Turquia está comprometida com os mecanismos de cessar-fogo que desenvolveu com a Rússia para a Síria. A Turquia fornece apoio militar a algumas das forças da oposição da Síria. Mas Cavusoglu disse que a Turquia não pode “ficar em silêncio” diante do uso de armas químicas pelo governo sírio e insistiu que Moscou trabalhe com Ancara para estabelecer um governo de transição em Damasco. “Queremos continuar nossos esforços com a Rússia no processo de Astana em termos de medidas para aumentar a confiança e estabelecer um cessar-fogo”, disse o ministro a jornalistas em Antalya, de acordo com a agência estatal Anadolu. Nos dias que se seguiram ao ataque de Khan Sheikhoun, a Turquia forneceu à Defesa Civil da Síria equipamentos de busca e resgate com 50 kits de proteção para resposta a ataques químicos e ofereceu treinamento para utilização, conforme a Anadolu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *